Prefácio de Alexander Pope à sua tradução da Ilíada de Homero (1715-1720)

Camila Aline Zanon

Resumo


A tradução que o poeta inglês Alexander Pope fez da Ilíada é um marco para a história dos épicos homéricos no mundo anglófono. A qualidade poética da tradução associada ao pioneirismo comercial da publicação por assinatura possibilitou ao jovem de 27 anos viver de seu próprio ofício como poeta, contribuindo para que ele se tornasse um dos mais proeminentes de sua época. O prefácio que acompanha o primeiro volume de sua tradução faz uma apologia de Homero, comparando-o com Virgílio quanto aos recursos poéticos e à capacidade de invenção e de julgamento. Nele, é possível observar os critérios poéticos que pautam o juízo de valor que Pope faz de um e de outro poeta antigo.


Palavras-chave


Homero; Ilíada; Alexander Pope; tradução; poética

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.31669/herodoto.v2i1.197

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




##submission.license.cc.by-nc-nd4.footer##



Universidade Federal de São Paulo

Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Departamento de História
Estrada do Caminho Velho, 333 - Bairro Pimentas
CEP:07252-312 - Guarulhos - São Paulo - Brasil
mundoclassiconectado@unifesp.br
 
Heródoto - ISSN Eletrônico - 2448-2609